Equipa d´O Ciclista

Clube de Jornalismo O Ciclista:

Professoras: Dra. Graça Matos e Dra. Sara Castela

Alunas: Adriana Matos, Ana Neta, Beatriz Agante, Matilde Santos e Sofia Pedrosa

Alunos: Daniel Almeida, Henrique Ferreira, João Rocha e Tomás Antunes

Dra. Miquelina Melo – Membro Honorário

terça-feira, 14 de abril de 2015

A Química e a evolução dos materiais



No tempo dos meus avós…
A escola era muito diferente da de hoje em dia.
Os meus avós iam a pé para a escola apesar de terem de percorrer vários quilómetros.
Todos os dias, antes das aulas começarem, cantavam o Hino Nacional e rezavam.
Na escola, os rapazes tinham aulas separados das raparigas. Nas salas de aula tinham poucos materiais escolares, e os que tinham já eram velhos. As carteiras eram de madeira com o tampo inclinado, com uma ranhura para colocar o lápis e a caneta e um buraco para colocar o tinteiro. As paredes da sala de aula eram preenchidas de mapas. As mochilas eram sacolas feitas de pano. Nessas sacolas eles levavam os materiais: um caderno feito por eles, uma lousa, um livro para todas as disciplinas, caneta de tinta permanente, um mata-borrão e um lápis de carvão.
Naquela altura não havia cantinas, por isso, os meus avós levavam o almoço dentro de uma cesta.
Quem não fizesse os trabalhos de casa levava puxões de orelhas, apanhava reguadas ou com uma cana-da-índia na cabeça. O ensino era muito exigente e todos os alunos tinham de decorar a tabuada. Todos respeitavam o(a) professor(a) e não podiam fazer o mínimo de barulho nas aulas.
Eles tinham quatro disciplinas: Matemática, Português, Geografia e História.
Os meus avós só estudaram até à 4ª classe, porque os meus bisavôs não tinham dinheiro para os manter na escola e também precisavam deles para as tarefas domésticas e para ajudar no campo.
Depois da escola eram obrigados a fazer os trabalhos de casa e só depois iam brincar. As brincadeiras eram inventadas por eles e realizadas na rua com as outras crianças e os brinquedos eram feitos de pedaços de madeira ou de pano.
À noite jantavam e depois iam para a cama, pois não havia eletricidade e claro não podiam ver televisão.
Agora…
Eu todos os dias vou de autocarro para a escola.
A minha turma é mista, apesar de haver um maior número de rapazes em relação às raparigas. As salas de aula são grandes e com alguns materiais; algumas têm quadros interativos e retroprojetores. Nós levamos imensos materiais necessários para as aulas: manuais, cadernos de atividades, cadernos diários ou dossiês, esferográficas, lápis materiais de desenho e pintura, calculadora, a caderneta escolar e muitos outros. As mochilas são feitas com materiais mais resistentes e sintéticos como o poliéster e são de cores e formas muito variadas.
O almoço é feito na cantina escolar e temos que tirar a senha previamente.
Temos sempre que fazer os trabalhos de casa, se não levamos recado na caderneta. Para os fazer, ou estudar, tenho, além dos manuais, os computadores com ligação à Internet, enciclopédias ou outros livros, que posso utilizar em casa ou na Biblioteca Escolar.
Eu estou no 7º ano e tenho muitas disciplinas: Matemática, Português, Geografia, História, Ciências Naturais, Moral, Educação Visual, Educação Física, Físico-Química, Espanhol, Inglês TIC e Música.
Depois da escola vou para o futebol e faço os trabalhos de casa. À noite janto em família, vejo a novela, a seguir arrumo a mochila para o dia seguinte e vou para a cama. Ao fim de semana jogo computador, psp, passeio em família, e chateio a cabeça às minhas manas.
Comparando com a época dos meus avós, tenho a vida muito facilitada…
Trabalho realizado por Tomás Figueiredo Neves, 7º E, no âmbito da disciplina de Físico-
-Química, sobre “A Química e a evolução dos materiais”. – Prof. Helena Arede

Sem comentários:

Enviar um comentário