Equipa d´O Ciclista

Clube de Jornalismo O Ciclista:

Coordenação: Dra. Graça Matos e Dra. Sara Castela

Dra. Miquelina Melo – Membro Honorário

Endereço de correio eletrónico - cj.eb23anadia@gmail.com

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Centro Escolar de Sangalhos

O Centro Escolar de Sangalhos é o novo centro do nosso Agrupamento e do Município de Anadia e encontra-se finalmente em funcionamento.
O Centro é de tipologia EB1/JI e substitui as escolas do 1º ciclo do Cruzeiro, Pista e Fogueira, bem como os jardins de infância da Pista e Fogueira. Com uma capacidade para 288 alunos, tem, atualmente, apenas 108 alunos, 25 crianças da educação Pré-escolar e 83 discentes do 1º Ciclo do Ensino Básico.
Encontra-se assim constituído por oito salas de aula do 1º ciclo, três salas da educação pré-escolar, uma biblioteca, uma sala polivalente, um refeitório, dois gabinetes de trabalho, um de professores e outro de educadores, gabinetes de apoio, átrios e circulações, cozinha e anexos. Para além de instalações sanitárias de alunos do 1º Ciclo e do pré-escolar (separadas), instalações sanitárias de adultos e instalação sanitária para deficientes com mobilidade condicionada. O edifício tem um bom isolamento térmico e acústico, que proporcionará excelentes condições de trabalho, conforto e aprendizagem.
À semelhança de outros já construídos, este Centro é composto por quatro setores. Um setor dos espaços sociais, composto pelos átrios, zonas de circulação e sala de professores. Um segundo setor dos espaços administrativos/direção, constituído pela secretaria, gabinete da direção executiva, gabinete de atendimento (sala de reuniões), arquivo, reprografia e arquivo morto. Um terceiro destinado ao ensino e apoio, formado pela biblioteca, sala polivalente, refeitório, gabinete de trabalho de professores, salas de aulas, salas de atividades, salas de apoio e gabinete de trabalho de educadores. Finalmente o setor dos espaços de apoio geral, como arrecadações, instalações sanitárias, balneários, central técnica, cozinha e respetivos espaços de apoio.


No exterior do edifício, os espaços estão estruturados de maneira a criar áreas com diferentes ambientes. Salienta-se o recreio, o parque infantil e um percurso pedonal com duas pistas com marcação de numeração no pavimento, simbolizando uma régua escolar, o que permite a prática desportiva.
A cerimónia inaugural decorreu com a presença do Presidente da República, Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva, da Presidente da Câmara Municipal de Anadia, do nosso diretor, de alunos e docentes, para além de muitos outros convidados, no solarengo dia 18 deste mês de fevereiro. A abrilhantar ainda mais o momento, pudemos apreciar a belíssima atuação dos meninos, seguida da visita pelo Centro Escolar. A Presidente da Câmara Municipal de Anadia fez as honras da visita, acompanhando o Presidente da República durante a mesma.




 

Após a cerimónia de inauguração, a comitiva presidencial seguiu para uma visita ao Centro de Alto Rendimento desportivo existente no Município, onde os atletas das federações, aí residentes, fizeram algumas demonstrações de várias modalidades.
Para o almoço, como não poderia deixar de ser, foram “convidados” o nosso célebre leitão, a par com o espumante que fizeram as honras gastronómicas de Anadia. Não fôssemos nós a capital bairradina!

Graça Matos e Sara Castela, O Ciclista

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Iluminação de amor


É nos teus olhos brilhantes que eu encontro o meu refúgio. És o sol que brilha numa noite de pura escuridão. Sem a tua luminosidade, reinariam as trevas e eu flutuaria numa maré, à procura do teu amor! És a luz de uma estrela cadente que, por onde passa, deixa o seu rasto luminoso. Se a luz é essencial à vida, tu és a minha luz. Dá-me luz na escuridão e eu proporcionar-te-ei felicidade sob um fundo de mil estrelas.
Por ti, percorria o mundo, tal onda eletromagnética, para te iluminar de amor e nunca te faltar luz no coração!
Sofia de Matos Pedrosa, nº 24, 10º B / O Ciclista


Nota:
Texto concorrente ao passatempo promovido pelo Exploratório, Centro de Ciência Viva de Coimbra “Amor cheio de Luz” e que obteve o 1.º lugar.



quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Não!



Não! Não te amo com todas as letras! Amo-te com todas as cores que a luz branca tem. Com todas essas cores do espectro da luz visível mais as radiações infravermelhas e ultravioletas.
Mesmo quando algo nos separa, o eclipse não é total. Porque és a mais bela estrela que podia iluminar um planeta como eu.
Quando estou contigo nunca estou no escuro. Tenho o meu próprio sol. Digo que te amo poucas vezes, mas, na verdade, amo-te mais rapidamente que a velocidade da luz. O meu amor por ti é como o universo: é infinito e continua em expansão.
Carlos César Quintela Vinhal P. Silva, nº 5, 12º A


Nota:
Texto concorrente ao passatempo promovido pelo Exploratório, Centro de Ciência Viva de Coimbra “Amor cheio de Luz” e que obteve o 3.º lugar.


quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Luz no coração



O teu amor é como uma luz no fundo de um profundo túnel. Para mim, és a única luz que faz brilhar as trevas que há em mim.
Tu és a luz que ilumina os meus negros dias e aquece os meus frios dias de inverno.
Quando estou contigo, o meu coração brilha como um raio de luz intenso!
Dá-me, então, o teu Amor e eu brindar-te-ei com um mar de felicidade. Abraça-me, pois, com ternura e nunca te faltará a luz do Amor!
Adriana de Matos Pedrosa, nº 1, 10º B / O Ciclista


Nota:
Texto concorrente ao passatempo promovido pelo Exploratório, Centro de Ciência Viva de Coimbra “Amor cheio de Luz”.


segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Parabéns, Amigo!

É hoje que uma das pessoas que mais admiro e de quem mais gosto na vida faz anos.
Tenho, pois, a agradecer-lhe por tudo o que tem feito por mim mas, principalmente, por estar sempre presente, quando mais preciso. 
Agora é a minha vez!
Vejo e sei que ele está a passar por uma fase complicada mas, mesmo não sabendo o que se passa ao certo, quero que ele saiba que estou sempre presente para ele e que, aconteça o que acontecer, estaremos sempre juntos, nos bons e nos maus momentos.
Nada do que farei por ele vai conseguir agradecer-lhe por tudo o que ele fez por mim até hoje, pois, se aprendi a ser quem sou e se aprendi a ganhar forças para ajudar quem mais precisa de mim, foi com ele. Foi ele que me ajudou, quando mais precisei de apoio e sei que, sempre que lhe mandar uma mensagem, ele me vai conseguir pôr mais feliz. 
Na verdade, nada do que eu escrever neste texto vai conseguir agradecer-lhe por... TUDO!
Agora, para ele: Mais uma vez, obrigada por tudo, Wallyson! Hoje é o teu dia! Espero assim que passes um grande dia junto dos teus. Já sabes que estarei sempre contigo, estejas onde estiveres, nunca te vou deixar.
Beijinhos, campeão! 

Ana Luísa Santos, nº 2, 9º E

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Alunos do Agrupamento ganham passatempo promovido pelo Exploratório de Coimbra


A luz abrilhanta o amor e os enamorados… Para Camilo Castelo Branco o Amor era “uma luz que não deixa escurecer a vida”. Afinal, o que é a Luz? Ela pode iluminar, aquecer… E mais? Sabia que a luz que vemos é apenas uma pequena “janela” de toda a radiação produzida no Cosmos? Com os instrumentos adequados, ela pode mostrar-nos muito mais do que aquilo que conseguimos ver apenas com os olhos!
Ilumine-se e… veja o que há para lá do visível, com Ciência neste Ano Internacional da Luz!
No âmbito das comemorações do Ano Internacional da Luz, o Exploratório, Centro de Ciência Viva de Coimbra, numa parceria com o Hotel Rural Villa do Banho e a Cervejaria Praxis, concebeu o passatempo Amor cheio de Luz.
O passatempo consistia em escrever uma mensagem original à pessoa amada, com o máximo de 100 palavras, com um título apelativo e que contivesse o termo amor e algo sobre a Ciência da Luz.
A professora de Físico-Química, Dra. Anabela Nunes, lançou o desafio à turma e eu e a Sofia aceitámo-lo sem hesitar, e escrevemos os textos. A professora do Clube de Jornalismo, Dra. Sara Castela, fez a correção.
O júri, constituído por professores universitários, escolheu os 3 melhores textos, dois dos quais são alunos do nosso Agrupamento. Assim, o 1º lugar coube à Sofia de Matos Pedrosa, também nossa querida jornalista, e o 3º lugar ao Carlos César Quintela Vinhal P. Silva.
A entrega dos merecidos prémios só poderia ter lugar no dia 14 de fevereiro, Dia dos Namorados.
Em breve apresentaremos dois dos textos vencedores e também o meu, que não venceu, mas o importante é tentar!…
Parabéns Sofia e Carlos!

Adriana Matos, O Ciclista

sábado, 14 de fevereiro de 2015

O amor, sentimento estranho


Era eu uma criança,
Com minha avó na missa da igreja,
E ela gritava: “Valentim, não grite nem pestaneje!”
Assim que o padre começava a falar.

Lembro-me de uma palavra numa homilia,
Uma palavra muito estranha,
Que mexeu e remexeu na minha entranha,
Uma palavra que gostava de pronunciar.

“- Avó, o que é o amor?”
Questionei eu naquele momento,
Com a resposta: “É apenas um sentimento.”
Para calar e entender.

Até que cheguei à adolescência
E pensava eu que nunca ia encontrar
Uma pessoa que me soubesse bem explicar
O que é que “amor” queria dizer.

Tinha eu quinze anos,
Quando meu tio-avô adoecera
E pouco depois falecera,
Abrindo uma chaga em meu coração.

Minha mãe me explicou,
Entre lágrima e desgosto,
Enquanto as lágrimas lhe escorriam pelo rosto,
Que o que sentia era saudade e amor.

“Amor de família”,
Uma frase que nunca esqueci,
Pois foi nesse momento que descobri
Um dos significados do Amor.

No dia seguinte fui à escola,
E fiquei muito indignado,
Quando descobri que estava apaixonado
Pela moça que ia à escola vender figos!

“Isso é paixão!” – retorquiu o Manel.
“E Mãe-Teto!” – brincou o João.
Só me lembro de lhe dar um chapadão
Fazendo rir os meus amigos.

Na faculdade encontrei um velho senhor
Que era pobre, um sem-abrigo.
E eu, num gesto amigo,
Dei-lhe algo para comer.

“Você é a personificação da fraternidade!”
Exclamou o velho, cheio de alegria.
“Mas isso é alguma alegoria?”
Sabia lá eu o que “fraternidade” pretendia dizer!

O indivíduo tentou explicar-me,
Entre risos e risadas,
Interjeições e gargalhadas,
Que era uma espécie de sentimento.

Fui para o quarto que alugara
E encontrei um dicionário
Lá no topo de um armário,
Para meu belo tormento…

Após várias tentativas
O dicionário agarrei.
E furiosamente folheei
Até achar o que procurava.

“Definição de amor:
Carinho familiar / Amizade /
Paixão / Fraternidade “
E bastou isso para me iluminar…

Percebi que o amor é o maior tesouro da vida,
É a razão da união, da felicidade.
E só quando o sentimos é que o descobrimos de verdade.
E é tão fácil de descobrir e demonstrar…

Em suma, ele é algo muito estranho…
Pode fazer chorar, pode fazer rir.
E a razão pela qual o sentimento não se pode discutir.
É versátil de verdade, mas é assim que temos de o aceitar.
Ana Neta, nº 3, 9º E / O Ciclista

            

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

O que é o amor?

O belo texto que hoje publicamos, serve de reflexão para o Dia de S. Valentim ou Dia dos Namorados, que se comemora amanhã.





quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

O Bullying nas Escolas

Nos dias de hoje, pais e professores pensam que os jovens se encontram seguros e se sentem bem na escola.
Na verdade, na maioria das vezes isso acontece, mas também existe uma parte dos jovens que sofre todos os dias no seu estabelecimento escolar. Ou por serem frágeis, ou por serem considerados “marrões” ou por outro motivo qualquer e então, são alvos de chacota por parte dos colegas. Por incrível que pareça, estes alunos optam por manter-se calados, sem contar o seu problema a ninguém, pois têm medo de serem vítimas de bullying. Noutros casos, é porque já tentaram fazer queixa e infelizmente não são ouvidos, pois muitas vezes os funcionários da escola, por exemplo, pensam que é coisa de miúdos e deixam passar. Os professores, por sua vez, nem sempre têm conhecimento da situação e os colegas optam por desvalorizar o que se passa. Em contrapartida, esses jovens que sofrem de bullying vão crescendo traumatizados, assumindo sempre para si a culpa, por se acharem demasiado feios, gordos ou estudiosos, uma vez que têm uma baixa autoestima. E, sendo assim, os casos de bullying vão sendo sempre abafados, esquecidos, deixados para trás, porque ninguém gosta de remexer nestes assuntos. O pior é que os bullies muitas vezes não percebem o que estão a fazer à vítima, visto que para eles é uma coisa natural, pois nunca ninguém lhes explica que o que estão a fazer é indiscutivelmente errado e inadmissível.
Obviamente, falo aqui do bullying psicológico que, a meu ver, é o pior, uma vez que nos deixa cicatrizes mais profundas, não fisicamente, mas na alma podendo até levar ao suicídio. E, por este país fora, através dos meios de comunicação social, temos constatado que a escola nem sempre atua na hora certa. Muitas vezes até sabe desses casos, mas deixa passar, por pensar serem casuais e que supostamente não vão voltar a acontecer. Porém, voltam sempre a acontecer e o pensamento de que foi uma situação casual continua.
É urgente, então, atuar.
Sendo assim, sempre que tenhamos conhecimento de que alguém, na nossa escola, está a ser vítima de bullying deveremos denunciar o caso. E quem, neste momento, tiver uma baixa autoestima, terá de ser forte e passar a gostar de si próprio, não dando assim importância a comentários medíocres que lhe são dirigidos e ditos por quem não vale a pena ser ouvido.
Aprende a valorizar-te, pois tu mereces ser respeitado.

Inês Santiago, nº 11, 9º A - Vilarinho 

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

La Chandeleur

Le 2 février, en France, on fête La Chandeleur et, ce jour-là, on fait sauter les crêpes.
Nous avons fêté cette date le 5 février dans notre école et nous avons dégusté des crêpes au chocolat et à la confiture de fraises qui étaient délicieuses.
Merci aux professeurs de Français pour cette activité gourmande.

8º Ano, Turma D





terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

A essência da amizade

A amizade é um sentimento que deve ser preservado e zelado e, todos os dias, devemos aproveitar todos os momentos que a amizade nos proporciona. Não devemos, pois, ser aquelas pessoas egoístas, e antipáticas, porque não é assim que se conquista uma verdadeira e forte amizade.
   Para mim, a amizade é muito importante na minha vida e é de forma intensa que eu a valorizo! Por vezes, os adolescentes aborrecem-se e até chegam a magoar os que os rodeiam, mas temos de pensar: será que vale a pena ter este tipo de atitudes? Um dia acabamos por nos arrepender e, nessa altura, poderá já ser tarde demais!
   No meu ponto de vista, o orgulho e a teimosia são um grande problema porque, por vezes, não queremos admitir que fomos nós que erramos. Mas, felizmente, nem sempre é assim, pois às vezes conseguimos resolver as coisas, de um dia para o outro, porque a falta que essa pessoa nos faz é maior do que o erro que ela cometeu.
   Como já referi anteriormente, a amizade é extremamente importante para uma pessoa ser feliz. Eu admito que não tenho um ‘exército’ de amigos, mas apesar disso eu sei que tenho as pessoas certas do meu lado! Sei que, nos momentos difíceis, vão fazer os possíveis e os impossíveis para me ajudar. Sei que vão fazê-lo, acima de tudo. Sendo assim, a amizade vai ficar preservada, independentemente do que surgir.
Márcia Fernandes, nº 15, 9º A – Vilarinho



segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

A amizade

A amizade é um sentimento que existe entre as pessoas e que se ganha com o tempo, a confiança, a lealdade, a partilha, o espírito de entreajuda, entre outros gestos e é um sentimento que é para toda a vida.
Graças à amizade, nós acabamos por conhecer pessoas que acabam por se tornar nossos amigos. Estou assim convicto de que sem a amizade nós não seríamos nada, uma vez que não conviveríamos uns com os outros e de facto, nós ao convivermos com quem nos rodeia gostamos dessa realidade, pois no momento em que estamos reunidos a conviver cultivamos a partilha e o companheirismo, não havendo assim lugar para a solidão, nem para a tristeza e muito menos, para a infelicidade.
Ora, nunca é de mais lembrar que a amizade é um sentimento que se constrói com amigos, familiares fazendo assim desabrochar o apoio, a segurança, a partilha, a união e a felicidade. E tudo isto faz com que a amizade seja um sentimento importante e necessário à vida humana. Por exemplo, caso estejamos a atravessar dificuldades, são os amigos que nos vão ajudar e apoiar, o que faz com que a amizade seja, de facto, necessária para todos.
Na minha opinião, a amizade é um dos sentimentos que deveria ser cultivado por todos por esse mundo fora, pois com ela haveria uma maior união entre as pessoas, dando assim lugar à paz e consequentemente acabar-se-iam as guerras. Sendo assim, eliminar-se-ia tudo o que há de negativo e que, muitas vezes, impede o ser humano de viver em plena harmonia.

Hugo Lincho, nº 10, 9º A - Vilarinho

domingo, 8 de fevereiro de 2015

A importância da amizade

Todos nós reconhecemos que a amizade é muito importante na nossa vida. Porque sem termos amigos, isto é, pessoas que não gostem de nós, sentimo-nos tristes, vazios, sentimos que não temos importância e que não somos importantes para ninguém. Acho até que todos já sentimos aquele medo de sermos invisíveis. Na verdade, da minha parte tenho sempre esse receio, uma vez que sinto que não tenho amigos, que me tento aproximar das pessoas, mas é como se elas não me deixassem aproximar.
Quando pensamos que não temos amigos ou então não temos mesmo, só nos apetece desaparecer, chorar, fugir de tudo e de todos e o que nos apetece sempre é ouvir música. Nestes momentos, pensamos assim que só a música é que nos compreende, e já não conseguimos sequer passar um dia sem a ouvir. Penso que só quem passa por tudo isto é que sabe o que sentimos, porque quem não passa, não tem a mínima ideia do vazio que há dentro de nós, da dor sentida por não sermos amados pelos outros. Eu, por exemplo, sinto que a minha única amiga é a minha mãe, sinto que só ela é que se preocupa comigo, que só ela é que me pergunta todos os dias: ”Estás bem?”, ou então, “ Estás melhor?”
 De facto, considero que se tivermos amigos tudo será mais fácil. Pois, quando eu tinha amigos, sentia-me mais feliz e a meu ver, a importância da amizade resume-se a isto.
 Em suma, a amizade é importante para nos sentirmos realizados, com vontade de viver, de partir à procura de novas aventuras.

Soraia Ferreira, nº 17, 9º A - Vilarinho

sábado, 7 de fevereiro de 2015

A amizade

Ao escrever este meu pequeno texto sobre o tema da amizade, veio-me à memória a história de dois meninos, em que um deles estava com um tumor cerebral e o outro foi vê-lo ao hospital para se despedir dele e, quando chegou a casa, as lágrimas não paravam de deslizar pelo seu rosto.
 A mãe, mal o viu, perguntou-lhe o que estava ele a sentir por ter visto o seu querido amigo partir. O menino, por sua vez, sorriu e disse: “ Apesar da grande tristeza e dor, sinto um certo alívio, pois cheguei a tempo de vê-lo sorrir e dizer: “Tinha a certeza que tu vinhas!”.
Esta pequena história comprova que a amizade não se resume só às horas boas de alegria, de festa. Na verdade, o verdadeiro amigo deverá estar presente em todos os momentos: bons ou maus, tristes ou felizes. Estou assim convencida de que a amizade é um dos bens mais preciosos que nós temos.
Entretanto, lembrei-me também de uma frase de William Shakespeare que diz: “O amor dá-nos asas, a amizade, o chão.” A meu ver, é bem verdadeira, porque, quando o amor nos deixa cair, existe sempre a amizade para nos suportar e aconchegar.
Amizade…hum… já nem sei o que dizer mais, uma vez que é difícil descrever um sentimento, e ainda por cima um sentimento tão forte. Aliás, acho até que não há ninguém que saiba descrever o sentimento da amizade corretamente, sem deixar algo por dizer. Contudo, só sei que, se perdesse os meus amigos, o mundo para mim iria abaixo.
Sendo assim, na minha opinião, a amizade é um tudo que se resume à confiança, ao respeito, ao apoio, ao carinho, ao amor e, de um certo modo, à liberdade.
 Em suma, reconheçamos assim que não há nada melhor do que a amizade!

Inês Santiago, nº 11, 9º A – Vilarinho

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Força! Dos amigos

Uma das nossas queridas jornalistas perdeu o seu pai. A tristeza invadiu-nos a todos pela trágica notícia, mas principalmente unimo-nos a ela na dor.
Expressamos os nossos sinceros sentimentos, através das palavras de duas grandes personalidades.
Se quiseres poder suportar a vida, fica pronto para aceitar a morte.
Sigmund Freud

O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso, existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis...
Fernando Pessoa
Para ti, querida Bea, todo o nosso apoio.
Dos teus AMIGOS d’ O Ciclista.

Adriana Matos, Ana Neta, Ana Patrícia Fernandes, Graça Matos, Henrique Ferreira, João Rocha, Manuel Garruço, Margarida Lagoa, Margarida Pereira, Matilde Santos, Rúben Saldanha, Sara Castela, Sofia Ferreira e Sofia Pedrosa

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

A amizade verdadeira

A amizade é um sentimento essencial para a nossa vida.
Do meu ponto de vista, a amizade apresenta inúmeras vantagens para nós, seres humanos, como por exemplo, levar-nos a acreditar nos outros, a ajudá-los quando mais precisam, porque assim quando nós precisarmos também nos ajudarão. Por outro lado, a alegria de viver não seria nenhuma, se nós não convivêssemos uns com os outros.
A amizade verdadeira é, de facto, importante e vale mais que qualquer quantia de dinheiro. Contudo, a amizade pode não ser verdadeira, porque às vezes nós acreditamos muito nos nossos amigos e depois estes decidem pôr-nos de lado para ter com outras pessoas e contarem-lhes os nossos segredos, com a agravante de dizerem aos outros para nunca mais voltarem a falar connosco. Como já referi anteriormente, a amizade é um bem essencial, mas nem sempre podemos confiar a cem por cento numa pessoa, porque não se sabe o que ela pode vir a fazer e, por isso, aquilo que nós não queremos que seja contado não se deverá revelar a ninguém e sim guardá-lo só para nós.
Porém, apesar de tudo, é claro de ver que sem amigos verdadeiros, que nos alegram e que acreditam em nós, não seríamos ninguém e viveríamos completamente isolados, neste mundo, sem comunicação, vivendo no abismo da solidão.

Alexandre Arromba, nº 1, 9º C – Vilarinho

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

#JeSuisCharlie

O atentado contra o jornal satírico Charlie Hebdo irá ficar gravado, sem dúvida, nas nossas memórias tal como na nossa história contemporânea.
Na verdade, o que aconteceu naquela redação foi uma perda desmensurada e creio que pode dar origem a uma ‘luta’ cultural.
O que mais me impressionou foi o ataque à liberdade de expressão e o facto de que, afinal, muitas pessoas não se apercebem daquilo que as rodeia e do caos que seria se não tivéssemos liberdade, tendo em conta os impactos negativos que tal situação poderia trazer.
Neste momento, as pessoas afirmam que o ambiente em França se tornou mau, consumido pelo medo. Por outro lado, asseveram que um ar de guerra paira no ar, tendo-se tornado em algo vazio e tomado por silêncios ‘pesados e barulhentos’.
Claro que um acontecimento com esta dimensão gerou várias opiniões acerca da atitude e reação dos jornalistas e cartoonistas, não só do jornal mas também de todo o mundo. Como facilmente se compreende, essas opiniões subdividem-se em apoios e oposições.
Quem apoia a reação destes defende a liberdade de expressão e respeita-a, ficando sempre comovido, porque se trata de um tema sensível. Por outro lado, quem se opõe a esta mesma reação critica e usa como ‘arma’ o facto de o jornal já ter sido ameaçado, dizendo mesmo que, por esse motivo, deviam ter parado.
Contudo, há alguns sentimentos em comum, nomeadamente o choque e a tristeza pelo acontecimento e um enorme apoio para continuarem.
A minha posição também é de apoio a todos estes jornalistas e até a posso fundamentar na frase que passo a citar, dita num dos vários discursos resultantes das críticas feitas ao jornal, “se imponho limites ou restrições à liberdade então deixo de ter a minha própria liberdade”.
 Muitas pessoas viram este acontecimento como o resultado das ‘ofensas’ feitas pelo jornal. Porém, a meu ver, os desenhos retratam críticas e não ‘ofensas’ e é, de facto, admirável todo o apoio que Charlie Hebdo recebeu um pouco por todo o mundo. 


Beatriz Agante de Almeida, O Ciclista

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Amizade

É um facto bem visível que a amizade é essencial para o bem-estar do ser humano.
Vejamos! Se não houvesse amizade entre as pessoas, o que seria feito do mundo?
De facto, o ser humano precisa de alguém que lhe diga se o que está a fazer está certo ou errado, precisa de um ombro amigo para chorar e de um sorriso para o alegrar. É de salientar que as pessoas têm sentimentos, bons ou maus, mas têm.
Para mim, a amizade é uma das melhores coisas da vida. Na verdade, os amigos apoiam-nos, os amigos fazem-nos chamar à razão, os amigos são e valem tudo! No meu dia a dia, valorizo muito as minhas amizades, por serem tão magníficas… tão verdadeiras…
Ah! Como gosto de ver os meus amigos bem e de ver o quão eles estão felizes! Odeio, pois, ver os meus amigos tristes e, por isso, faço tudo para os ver mesmo bem, dou o meu braço amigo e parto para a palhaçada. Pelo menos, faço-os rir. Porém, é importante frisar que à minha volta também vejo pessoas falsas, pessoas que só querem a atenção centrada nelas e ver os outros mal e isso não é uma relação sincera, isso não é amizade. Mas infelizmente estas situações existem.
Pondo esta situação de parte, reafirmo que as amizades são tudo na vida! Na verdade, quem não tem amigos não tem nada.
Um mundo sem amigos, já imaginaste tu tal facto? Seria um mundo tão só, tão triste!
Agora que leste este texto, segue o meu conselho: vai ao encontro de quem consideras ser teu melhor e verdadeiro amigo e dá-lhe um abraço!

Inês Gouveia, Nº 11, 9º E