Equipa d´O Ciclista

Clube de Jornalismo O Ciclista:

Coordenação: Dra. Graça Matos e Dra. Sara Castela

Dra. Miquelina Melo – Membro Honorário

Endereço de correio eletrónico - cj.eb23anadia@gmail.com

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Voar pelas asas da imaginação!


Leitura… Mas para que serve a leitura e os livros e qual a sua importância?
Os livros trazem-nos magia, criatividade, imaginação. Levam-nos assim a viajar num mundo sem fim! Os livros são o nosso refúgio, a nossa salvação e até esperança. São eles que nos transportam para outros lugares. Lugares reais ou imaginários, mas belos e diferentes. São eles que enriquecem a nossa vida, com contos fantásticos e belos. A magia dos livros espalha-se assim pelo ar e une corações.
Cada vez que alguém lê uma história que o livro contém, ela ganha vida. Torna-se diferente, já que cada leitor lhe dá uma interpretação pessoal. O tal cunho que cada um tem e é tão próprio que a história lida se torna íntima e inigualável, por ser apenas de cada um.
É através deles que podemos escrever sobre os nossos pensamentos, as nossas opiniões, determinados assuntos de que gostamos e que achamos importantes. Enfim, escrever sobre imensos assuntos, inventar situações, descrever paisagens, criar histórias!…
Os livros transportam-nos para mundos diferentes, mundos de aventuras, irreais, inimagináveis, de beleza sem fim.
De facto, os livros são tudo o que nos faz aprender, crescer, viver e até sonhar. São eles e a leitura que nos desenvolvem capacidades, nos dão conhecimento, nos fazem aprender e compreender e até imaginar e sonhar, daí serem muito importantes nas nossas vidas.
Sem os livros, como poderíamos nós viver? Poder, podíamos, mas nunca seria o mesmo. Seríamos mais pobres, menos felizes e aquele saborzinho, aquele gosto da leitura, não seria possível.
Apesar de tudo, muitas pessoas podem não gostar de ler, mas deixo-vos um conselho:
Experimentem ler, alimentem a vossa criatividade e deixem-se levar até onde a imaginação quiser.
Voem assim nas asas da imaginação!

Sofia Matos, nº 21, 8º Ano, Turma C

domingo, 29 de abril de 2012

Dia Mundial da Dança


29 de abril de 2012
O Comité Internacional de Dança da UNESCO instituiu o dia 29 de abril como o Dia Mundial da Dança. A escolha desta data deve-se ao facto de um dos grandes nomes da dança, Jean-Georges Noverre, ter nascido, em 1727, neste mesmo dia.

A celebração deste dia reporta-se a todos os tipos de dança e pretende demonstrar a universalidade desta arte.

Neste dia uma personalidade do mundo da dança, a pedido da UNESCO, redige uma mensagem sobre a dança e que é transmitida a todos com o intuito de celebrar a efeméride.



Graça Matos, O Ciclista

sábado, 28 de abril de 2012

Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho


28 de Abril de 2012

O Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho celebra-se em todo o mundo desde 1996. Esta data comemorativa foi criada com o intuito de homenagear as vítimas de acidentes de trabalho e doenças profissionais e realizou-se pela primeira vez  na ONU (Organização das Nações Unidas), cita em Nova Iorque.
Portugal também celebra este mesmo dia 28 de Abril, reforçando-o com a criação do “Dia Nacional de Prevenção e Segurança no Trabalho”.
O tema central da campanha deste ano é “A importância da segurança e saúde no trabalho, num contexto de crise económica: contributo para a qualificação dos trabalhadores e a competitividade das empresas”.
Mas, apreciemos o texto do Tomás sobre a leitura e os livros.

Graça Matos, O Ciclista

Vale a pena ler!

Ao longo da nossa vida, deparamo-nos com uma grande variedade de livros. Temos livros de banda desenhada, romances, aventuras, poemas, entre outros. Mas qual deles devemos escolher?! Certamente, teremos de nos deixar levar pelo momento e pelo nosso estado de espírito.
Na minha opinião, a leitura de qualquer tipologia de livro é um ato muito importante, pois quanto mais lermos, mais informação teremos. Por outro lado, a leitura pode levar-nos até às nuvens, até aos confins do mundo. Podemos até passar um dia a ler que não teremos nada a perder. Pelo contrário! E mais tarde, quando até já tivermos os nossos filhos, poderemos cultivar-lhes este gosto pela leitura e relembrar histórias que jamais serão esquecidas por passarem de geração em geração e fazerem parte da cultura de um povo. Lembremos, no nosso caso, os vários contos tradicionais bem como as lendas, os provérbios entre outros que fazem parte da nossa literatura tradicional.
Enfim, vale a pena ler!

Tomás, 8º C

sexta-feira, 27 de abril de 2012

“Rubix”, o novo livro de Ana Rita Pereira


Queridos Ciclistas:
Ainda se lembram da Ana Rita Pereira?
Pois, a verdade é que ela já vai lançar o seu 3º livro.
O lançamento realizar-se-á em breve, no dia 28 de abril, pelas 15 horas, na Biblioteca Municipal de Anadia.
Conversámos com a autora do Rubix, a nossa aluna Ana Rita Pereira, e conseguimos que ela nos adiantasse desde já a sinopse do livro.
A aventura começa, quando quatro adolescentes se apercebem de que algo não está bem com os humanos e com o planeta em que vivem.
Mesmo sem quererem, a Mariana, a Beatriz, o Nuno e o Cristóvão vão parar a uma outra dimensão, onde um povo dividido solicita a sua ajuda. Os jovens separam-se e veem-se perante difíceis desafios, antes de se poderem reunir de novo e salvar a Humanidade.
Uma história de seres de outro mundo, animais falantes e poderes fantásticos.”
Se ficou curioso, convidamo-lo a assistir ao lançamento do livro e a visitar uma dimensão distante.
Tratando-se de um jornal on-line de grande “tiragem” nacional e internacional, pois temos leitores espalhados pelos quatro cantos do mundo, “O Ciclista” não faltará a tal evento e prometemos dele dar notícia.
Temos ainda a promessa de mais uma grande entrevista exclusiva com a autora.

Margarida Pereira, O Ciclista

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Nunca é tarde para começar a ler

26 de abril de 2012

O Dia Mundial da Propriedade Intelectual celebra-se neste dia 26 de abril e foi decretado pela ONU(1) e pela OMPI(2). O Ciclista lembra este dia com a publicação de mais um dos belos textos que enaltecem a importância da leitura e do livro.

Graça Matos, O Ciclista


(1)     Organização das Nações Unidas
(2)     Organização Mundial da Propriedade Intelectual


Nunca é tarde para começar a ler
Ler é um ato muito importante.
Ler é para todos, novos, velhos, alunos, trabalhadores. Enfim, todos devemos ler, porque nos faz bem. Ajuda-nos, por exemplo, a nós, alunos, a concentrarmo-nos melhor. Por outro lado, ficamos a saber mais e para nós, estudantes, ainda mais importante é, porque ficamos a conhecer diferentes assuntos e a compreender melhor o que nos rodeia.
Para quem não gosta de ler livros, comece por ler um jornal, uma revista ou pequenos textos, pois ao fim de algum tempo acabará por se interessar pela leitura.
Certo dia, um rapaz que não gostava muito de ler, pegou numa revista de ciência e começou a lê-la e até gostou. A partir desse momento, todos os dias, passou a comprar revistas de diferentes assuntos até que um dia a mãe do rapaz lhe perguntou o que andava ele a fazer. Quando ela soube que ele andava a ler, exclamou:
- Ai, filho, ler não é comigo!
- E já alguma vez leste? - perguntou ele, ao que ela respondeu que não.
Então, o rapaz aproximou-se da mãe e pediu-lhe que ela lesse uma notícia. A mãe aceitou o convite e o mais curioso é que, todos os dias, passou a comprar ela o jornal, para o ler fio a pavio.
O filho, por sua vez, como já estava a sentir o prazer pela leitura, começou a ler livros e, já na sua fase adulta, decidiu ele próprio escrever um livro sobre a importância da leitura.
Ora, este exemplo mostra que ler abre horizontes e pode até vir a criar o prazer pela escrita.

                        Luís Dias, 8º C

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Ler faz voar a imaginação



25 de abril de 2012
 
Continuamos a apresentar os textos escritos pelos nossos alunos sobre a importância da leitura e dos livros na nossa vida. Contudo, não queremos deixar de lembrar o Dia que hoje se comemora – o dia do 25 de Abril de 1974, o Dia da liberdade.
A 25 de Abril de 1974 desencadeou-se a Revolução dos Cravos que pôs fim, de uma forma muito pacífica, a um longo período de regime ditatorial do Estado Novo, vigente desde 1933. A pacificidade deste golpe de estado ficou bem traduzida com a ação de um soldado, o qual se tornou um símbolo, com a colocação de um cravo no cano de uma espingarda, que rapidamente se generalizou a outros.

Graça Matos, O Ciclista

Ler faz voar a imaginação

Quantas vezes ouvimos nós dizer que ler faz voar a imaginação, faz-nos criar, sonhar e até adquirir cultura. Mas, fazer voar a imaginação?! Como é que isso será possível?!
Bem! Certamente, será esta a pergunta colocada por aqueles que acham que o ato de ler não serve para nada. No entanto, vejamos: um livro tem um número elevado de palavras, mil e umas histórias. Por outro lado, transmite-nos lições de vida, para além de enriquecer a nossa cultura. Enfim, um livro é uma força maior que faz voar o nosso pensamento.
E do meu ponto de vista, o interesse pela leitura deverá surgir logo na fase da infância, pois é graças a ela que se aprendem as coisas mais fantásticas que possamos imaginar. Sendo assim, ler transporta-nos para um mundo de magia e faz-nos voar, viajar e sonhar.


Ana Silva, 8º C

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Dia Mundial do Livro


23 de abril de 2012
Nas aulas de Língua Portuguesa, os alunos analisaram um anúncio publicitário que tinha como objetivo promover a leitura. O slogan desse anúncio era “A magia dos livros mais perto de si”. No teste de avaliação desta disciplina foi pedido aos alunos que criassem um texto cujo tema central teria de ser a importância da leitura e dos livros na nossa vida, como crianças, jovens, adultos. Enfim, em qualquer idade!
Os alunos do 8º C, três das quais são também “jornalistas” do nosso Clube, redigiram os textos que vamos apresentar hoje e ao longo dos próximos dias, exaltando deste modo o Dia Mundial do Livro.


Sara Castela, Professora de Língua Portuguesa / O Ciclista

A leitura e o livro

Há muitas crianças que têm orgulho nas pessoas de quem gostam, que admiram, ou então porque fazem tudo bem. E eu? Bem, eu também, mas não só! O meu grande orgulho é saber ler e, claro, ter um livro para o poder fazer.
O engraçado é que, quando era pequena, ainda não sabia ler as letras e as palavras escritas nos livros infantis e, no entanto, já gostava de ler. Sim! Lia através das belas imagens desenhadas e viajava para mundos de fantasia. Transformava assim as histórias descritas em histórias que eu própria inventava.
Entretanto, quando aprendi a ler, não alcancei a sua importância, mas claro que gostava. Nessa altura, aprender a ler para mim era natural, pois todos o faziam. Pelo menos era o que eu pensava. Mas, sei agora que nem todos o podem fazer. E não penso apenas naqueles que, agora idosos, não tiveram oportunidade de aprender a ler, muitos porque não os deixaram. Penso, também, essencialmente em todas as crianças a quem, ainda hoje, é impedida a ida à escola.
Agora, infelizmente, oiço dentro de mim os gritos calados de milhares de pessoas, que choram a tristeza e a desilusão de não saberem ler.
Por outro lado, penso quão importante é e como eu ficaria, se não percebesse uma letra que fosse. Na verdade, penso como seria triste pegar num livro e não o poder ler, não o poder entender. Como eu seria pouco culta se não conseguisse que a minha imaginação voasse. Sim, voasse, pois sem ler livros, eu não me poderia inspirar, aprender, enriquecer a minha imaginação e sonhar.
Um livro é um amigo!
Ter um livro é… aprender, é nunca estar só, é conviver com diferentes gerações, civilizações e raças, é viajar para mundos diferentes, sem sairmos do nosso lugar. Enfim, ter um livro é magia!
Por isso, aconselho a todos aqueles que sabem ler que peguem num livro e comecem a ler, sem parar e deixem que o sorriso conquiste o vosso rosto, que a magia invada a vossa mente, deixem que as palavras vos seduzam e vos façam viajar.
Adriana Matos, nº 1, 8º C

domingo, 22 de abril de 2012

Dia Mundial da Terra


22 de abril de 2012
A Ana Patrícia Fernandes, aluna do 8º C e “jornalista” do nosso Clube, nas aulas de Língua Portuguesa escreveu este texto que nos alerta para as agressões que a nossa casa, a Terra, tem sofrido, fruto da desmesurada ação do Homem.
Poderíamos nós encontrar outra maneira melhor de celebrar este Dia da Terra?

Graça Matos, O Ciclista

É urgente agir!

Ultimamente, a Natureza tem vindo a ser ameaçada por nós, humanos.
Hoje, vou dedicar um pouco a minha atenção sobre um tema muito polémico, que tem dado bastante que falar: o aquecimento global.
Na minha opinião, a culpa do Planeta Terra estar em perigo é toda nossa. Pois se reduzíssemos o lixo que produzimos em exagero, se reciclássemos mais e se reutilizássemos muito do material que deitamos para o lixo, a situação seria menos grave.
Na verdade, nós precisamos de aprender o seguinte: se continuarmos a ser negligentes para com o ambiente, o Planeta Terra ficará completamente destruído e ninguém conseguirá viver nele. Sendo assim, temos de tomar medidas e é urgente que o façamos já!
A meu ver, deveriam, por exemplo, começar a ser passadas multas bem elevadas a quem poluísse a via pública, a quem não reciclasse. Por outro lado, os lagos e os rios deveriam ser novamente limpos e "implantarem" neles de novo a vida. Os escapes dos carros e as fábricas deveriam ter filtros.
As pessoas deveriam assim consciencializar-se de que o Planeta Terra é de todos e, como tal, temos de o preservar.
Temos que conseguir mudar mentalidades e ações! É importante que o façamos. Caso contrário, o Planeta Terra morrerá nas nossas mãos e por nossa culpa e de mais ninguém!

Ana Patrícia, 8º C

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Receitas de Amizade e do Estudante


2012 04-20 - receita ana rita gomes
View more PowerPoint from O Ciclista

Por razões técnicas, que nos são alheias, a receita da Ana Rita Gomes não pode ser visualizada durante parte do dia de hoje. Pelo facto pedimos as nossas sinceras desculpas.

Graça Matos, O Ciclista

terça-feira, 17 de abril de 2012

Receitas de Amizade e do Estudante


Vivendo ainda a semana pascal e tendo em conta que é um tempo de mudança, algumas das nossas alunas do 8ºano, após o estudo do texto instrucional, quiseram divulgar algumas receitas por elas criadas e que todos nós poderemos experimentar para assim construirmos um mundo melhor.

Para se ser um bom amigo, foram apresentadas várias receitas.

Presenteamos, a partir de hoje e durante alguns dias, os nossos Ciclistas com a apresentação destas receitas de amizade e de como ser um bom estudante elaboradas pelos alunos do 8º Ano da Escola Básica nº 2 de Anadia, nas aulas de Língua Portuguesa.



Sara Castela, Professora de Língua Portuguesa / O Ciclista e Graça Matos, O Ciclista

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Dia Mundial da Voz

16 de abril de 2010

16 de abril de 2010
Comemora-se hoje o Dia Mundial da Voz. Neste 10º aniversário, vamos partilhar uma “receita” que nos ajuda a cuidar e a melhorar a nossa voz:
-          Beber água – a voz melhora com a hidratação. Para isso, basta beber 5 a 6 copos por dia;
-          Os gritos perturbam a nossa voz. Então, não gritar;
-          Temos tendência a elevar a nossa voz, sobretudo em locais com muito ruído, como são ex. o recreio da escola, as cantinas, bares, discotecas, … Mas é um erro, pois falar muito alto também origina graves danos para a voz;
-          Quando imitamos outras vozes, por exemplo de cantores, mesmo dos nossos favoritos, ou de desenhos animados, as nossas cordas vocais fazem um esforço suplementar e pode causar rouquidão. Assim, devemos evitar fazer imitações;
-          Falar muito tempo ao telemóvel, particularmente se se estiver em locais ruidosos, causa cansaço vocal;
-          Não se deve abusar de bebidas gasosas e de alguns outros alimentos, pois estes podem provocar ou agravar um refluxo(1). Como ex.: citamos os citrinos, os sumos ácidos os alimentos gordurosos, os fritos, o chocolate e outros;
-          Não se deve comer ou beber antes de deitar, pois, também neste caso, há risco de “refluxo”;
-          Os ambientes secos, por exemplo com fumo e com ar condicionado são prejudiciais à voz. Uma das soluções é beber ainda mais água (e não outros líquidos!);
-          Não esforçar a voz, principalmente se estamos constipados ou com uma crise alérgica. A solução também é beber água;
-          Provocamos uma agressão nas nossas cordas vocais quando temos um ataque de tosse ou quando nos esforçamos para limpar a voz (o que se chama pigarrear);
-          Devemos ter muita atenção às diferenças térmicas, pois estas podem causar rouquidão;
-          O fumo é um risco muito grande para a nossa voz. Por isso, não fumem;
-          Fazer desportos, faz bem a tudo, até à nossa voz;
-          Devemos descansar e dormir, assim também a nossa voz descansa. Particularmente quando temos de falar em público, representar ou cantar e até apresentar um trabalho numa sala de aula;
-          Ter aulas de colocação de voz – para todos os que cantam e representam (até os senhores professores e os alunos deveriam ter estas aulas. O Ministério da Educação devia lembrar-se disso!

Nota:
1.    Refluxo – “subida” do suco gástrico até à “garganta”.
2.    “Receita” adaptada a partir do texto original do Departamento de Otorrinolaringologia, Voz e Perturbações da Comunicação, do Hospital de Santa Maria (CHLN)/Faculdade de Medicina de Lisboa.

Graça Matos, Equipa d´O Ciclista

domingo, 15 de abril de 2012

Clube de Teatro e Expressão Dramática


No dia 27 de Março foi o Dia do Teatro e, como os alunos estavam de férias, não foi possível ao clube comemorar este dia. No entanto, na segunda semana de aulas, o clube irá apresentar uma pequena dramatização, onde cada um dos seus elementos irá mostrar as suas potencialidades artísticas. As nossas apresentações realizam-se na sala C2 ou na Biblioteca da EB nº 2, dado que as condições acústicas do polivalente da EB2 não são as mais apropriadas para o efeito.

 Alice Lourenço, Clube de Teatro e Expressão Dramática





Titanic

O Ciclista lembra que na noite de 14 para 15 de abril de 1912 o mais luxuoso e maior navio alguma vez construído, o "Titanic" naufragou na sua viagem inaugural. Este navio de luxo fazia a travessia do Oceano Atlântico, entre Southampton, na Inglaterra, e Nova York nos Estados Unidos, e, ao chocar contra um icebergue, duas horas e quarenta minutos depois da sua partida, provocou a morte de 1523 pessoas, das 2240 que iam a bordo, tendo sobrevivido apenas 717 pessoas.

Graça Matos, O Ciclista

sábado, 14 de abril de 2012

Verde Vida


Como já noticiámos, o clube de Teatro e Expressão Dramática, numa parceria com a Biblioteca da EB nº 2 de Anadia, no dia 22 de Março e no âmbito da comemoração do Dia da Floresta deu vida à atividade “Verde Vida”. Os alunos do clube deram voz aos poemas de Fernando Pessoa, Eugénio de Andrade e Florbela Espanca.
Hoje divulgamos os poemas declamados, bem como algumas das fotografias cedidas pela Dra. Alice Lourenço, coordenadora do Clube e que perpetuam esta atividade.



 Graça Matos, O Ciclista

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Clube de Teatro e Expressão Dramática comemorou o dia da Floresta


No dia 22 de Março o Clube de Teatro e Expressão Dramática comemorou o dia da Floresta com a apresentação da Atividade “Verde Vida”, na Biblioteca da EB nº 2 de Anadia. Os alunos do clube recitaram poemas de Fernando Pessoa, Eugénio de Andrade e Florbela Espanca.



 Alice Lourenço, Clube de Teatro e Expressão Dramática


Nota:
Amanhã serão apresentados os respetivos poemas e algumas fotos gentilmente cedidas pela coordenadora do Clube de Teatro e Expressão Dramática, dra. Alice Lourenço.

A Equipa d´O Ciclista

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Dia do Astronauta


12 de abril de 2010
O Dia do Astronauta celebra-se a 12 de abril. Este dia foi instituído a fim de comemorar o primeiro voo espacial tripulado, efetuado a abordo da nave Vostok I, a 12 de abril de 1961 pelo astronauta, da ex. URSS, o russo Yuri Alekseevich Gagarinque. Yuri demorou 1 hora e 48 minutos a completar uma volta na órbita da Terra.
Mais uma vez, o contributo d´O Ciclista será feito com a apresentação de uma viagem, não propriamente espacial, mas na máquina do tempo do João Pedro, do 7º F.

Graça Matos, Equipa d´O Ciclista

Era uma vez uma casa, na qual relatavam que recentemente tinha ocorrido um assassinato, pois havia sangue no chão e a pessoa que nela habitava nunca mais tinha sido vista.
Entretanto, um miúdo curioso, que há muito tempo tinha recebido a alcunha de Sherlock Rocha, estava decidido a averiguar o que se tinha passado. Sendo assim, deslocou-se então à casa onde encontrou o tal sangue no chão, porque a pedido deste investigador não lhe tinham tocado sequer.
Assim que entrou na casa, ouviu vozes que pareciam ser de fantasmas, mas ele já estava habituado, por isso não se assustou. Seguidamente verificou que havia na lareira três velas, duas delas cheias de teias de aranha, mas a do meio estava limpa. O miúdo, corajoso e determinado, puxou a vela do meio que continha uma lâmina, na qual ele se cortou e deitou bastante sangue, mas de imediato a lareira sugou-o para o seu interior até que aterrou debaixo de uma palmeira. Logo de seguida, caiu-lhe um coco em cima da cabeça e ele desmaiou.
Quando acordou, estava já no meio de uma tribo com um senhor, também com a mão cortada. Com isto, ele concluiu que afinal não tinha ocorrido nenhum assassinato. Momentos depois, alguém da tribo perguntou ao miúdo:
- Tu ser herói? Tu ter coragem?
- Sim, alguma – respondeu ele.
- Tu ir acima do vulcão, trazer chave e sair daqui – disse um elemento da tribo.
O miúdo decidiu fazer o que lhe estavam a pedir e de seguida, conseguiu a chave e trouxe, de novo ao mundo, mais um caso concluído.
 Relativamente aos membros da tribo, foi-lhes dada a possibilidade de irem para a escola aprender a ler e a escrever. E, ainda, a contactar com a civilização.
Ora, na verdade, não devemos entrar nos casos alheios, mas por vezes saem todos a ganhar! E foi o que aconteceu neste caso.

João Pedro Rocha, nº 14, 7º F

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Possível lenda do nome Paredes do Bairro


Há muitos, muitos anos, no tempo dos reis e das princesas, havia um rei que gostava muito de viajar.
Na sua terra, apenas o seu palácio era feito de algo que tinha o nome de “paredes” feitas de pedras enquanto as outras casas eram feitas de palha.
Entretanto, numa das suas muitas viagens, foi parar a um bairro onde as casas eram diferentes, pois todas elas tinham paredes de cimento. O rei, ao ver esta situação, logo se quis mudar para o bairro de “paredes” e assim surgiu o nome próprio da terra: Paredes do Bairro.

Ana Francisca Marques, nº 3, 7º F
Margarida Lagoa, nº 22, 7º F

Sofia Ferreira, nº 28, 7º F