Equipa d´O Ciclista

Clube de Jornalismo O Ciclista:

Coordenação: Dra. Graça Matos e Dra. Sara Castela

Dra. Miquelina Melo – Membro Honorário

Endereço de correio eletrónico - cj.eb23anadia@gmail.com

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Palavra...

...Nem sempre é escrita,
Tem dias que é dita
Por sentimento
Ou só escrita.

Mas há delas que nadam,
Outras como pétalas voam,
Sem sentido de animação,
Sem amor nem coração.

Magoam quando querem.
A sua expressão é uma aberração,
A sua tinta sem coração
Sem alma nem compaixão.

Ana Maria, 8º C

domingo, 30 de maio de 2010

sábado, 29 de maio de 2010

O sonho de um livro...

Sou um livro de aventuras e conto todas as loucuras de quem me escreveu.
Tenho cento e vinte páginas e a cor da minha capa reflecte alegria para todos os lados.
Um dia, depois de escrito e publicado, fui para uma papelaria, onde estive dois meses à espera de um dono. Enfim, à espera de alguém que me comprasse.
Finalmente, chegou o tão desejado dia: alguém reparou em mim, agarrou-me, colocou-me num saco e levou-me para casa.
Apenas leram três páginas, sem contar com o índice. Depois arrumaram-me numa prateleira, num sótão escuro, cheio de pó. Mas um dia, de repente, vi uma luz: era a luz da escadaria que ia dar ao sótão. Que bom! Abriram a porta! De seguida, agarraram em mim e leram o resto das minhas histórias. Tratavam-me tão bem que até me sentia da família.
Agora, que abro os olhos, posso confessar que tudo não passou de um sonho e volto à minha realidade: continuo neste sótão velho e já estou coberto de pó. A cor da minha capa reflecte tristeza, porque a alegria já se foi há muitos anos.

Iara, 8ºD

sexta-feira, 28 de maio de 2010

AMIGOS VERDADEIROS

Amigos, amigos,
Quem são eles?

Amigos são como ouro,
Amigos são difíceis de encontrar
E impossíveis de esquecer.

Amigos são quem nos traz a felicidade,
Mas uma diferença há
Entre amigos e amigos verdadeiros.

Amigos verdadeiros
São quem ri quando nós rimos,
São quem chora quando nós choramos,
São quem está pronto a ajudar
E a dar o ombro quando precisamos.
Enfim, amigos são a melhor riqueza
Que na nossa vida existe.

Lia Esteves, 8ºD

quinta-feira, 27 de maio de 2010

História de um livro

Era uma vez um velho livro de histórias de encantar que vivia na estante de uma menina, juntamente com mais 53 livros, livros esses que iam de enciclopédias a dicionários, passando por outros de histórias e de banda desenhada.
Todos os livros daquela prateleira eram usados com alguma regularidade, excepto o velho livro de histórias de encantar, de capa vermelha e bem grosso, que pertencera já à avó da menina!
Naquele livro, podíamos encontrar histórias de princesas, príncipes, sapos, lobos, génios de lâmpada, etc. No entanto, a menina tinha essas mesmas histórias noutros livros que eram novos e tinham muitas imagens, ao contrário do velho livro que, em 127 páginas, tinha apenas 3 imagens e, ainda por cima, eram a preto e branco…
- Horrível! – dizia a menina – Aquele livro é horrível, só está ali a ocupar espaço… nunca o hei-de ler!
E assim vivia ele, triste e empoeirado, na esperança de que algum dia o tirassem daquela prateleira, onde passara a maior parte da sua vida! … Entretanto, sempre que via alguém aproximar-se da estante para tirar um livro, o seu coração batia incontrolavelmente na expectativa de ser ele o escolhido. Mas nunca era…
Até que, um dia, a mãe da menina a mandou limpar o pó dos livros um por um, para os ordenar de acordo com o género a que pertenciam. Ao tirar o velho livro da prateleira, a menina deixou-o cair e ele abriu-se precisamente na sua história favorita “ A Princesa e o Sapo”. Ao apanhá-lo, inevitavelmente começou a ler a história e, qual não foi o seu espanto, quando se apercebeu de que aquele livro tinha as histórias que ela conhecia, mas contadas de uma maneira diferente!
Assim, ela leu-o em muito pouco tempo e passou a gostar tanto dele e das suas versões das histórias que, a partir daí, quando lhe perguntavam qual era o seu livro preferido, ela respondia:
- O velho livro vermelho da avó! ...

Ana, 9ºB

quarta-feira, 26 de maio de 2010

VIAGEM NO TEMPO

Sempre sonhei ir à época dos Egípcios, ver a sua cultura e como lá se vivia.
Gostava, assim, de ver como se fizeram as pirâmides e de conhecer tudo naquela civilização: as gentes, as cidades, os templos, os palácios, os faraós, entre outras coisas mais.
De facto, conseguir isso seria uma maravilha.
Contudo, aqui estou eu, em Portugal. Olho ao meu redor e vejo que, infelizmente, o mundo está a entrar em falência; mas eu, mesmo assim, quero fazer esta viagem.
Entro, então, na máquina do tempo: um tubo com muita tecnologia e muitas luzes. Marco o tempo e o lugar para onde quero ir. Clico no botão e pronto: ali estou no sítio onde hoje é o Cairo, na época dos faraós.
Olho em volta e uma das pirâmides, que existe no presente, naquela altura estava a ser construída. Escravos, prisioneiros de guerra, crianças e mulheres a carregarem pedras pesadas para construir aquele monstruoso edifício, que agora todos chamam de maravilha.
Eu caio de joelhos e choro, porque ouço as pessoas a gritar de dor pela vida que têm. Saio dali, pois não posso fazer nada.
Mais tarde, dou por mim numa cidade perto do palácio do Faraó. Todos vivem razoavelmente bem. Ruas asseadas, habitantes bem vestidos e aquela paisagem de que gosto tanto! Fiquei encantado.
De seguida, fui a um templo que havia ali por perto. Era espectacular. A arquitectura e as pinturas naquele sítio eram um espanto. Gostei do que vi. Uma imagem daquelas não via eu há muito tempo.
A certa altura, quando vagueava pelos corredores do templo, fui contra uma pessoa. Virei-me e vi um senhor pequeno como os que se vêem nas imagens dos livros. Assustei-me e caí no chão. Ele pediu-me desculpa e olhou para mim espantado. Soube depois que era o Faraó, uma pessoa impecável. Fomos ambos até ao palácio. Ele contou-me a sua história e perguntou-me porque é que eu tinha roupas tão diferentes. Eu expliquei-lhe quem era e o que estava ali a fazer. Ele entendeu e ajudou-me a visitar toda a cidade, mas com uma condição: que eu lhe desse o meu relógio de pulso digital. Eu dei-lho e foi assim que a nossa amizade começou. A partir daí, viajámos pelo Egipto inteiro. Foi uma viagem maravilhosa!
No dia do regresso ao presente, fiquei muito triste, porque nunca iria ter a oportunidade de ver uma era tão grandiosa como aquela.
Quando voltei a Portugal, vi que estava tudo na mesma.
Agora tinha de pensar no presente e no futuro e guardar nas minhas memórias esta boa recordação.

Vasco Gomes, 9ºC

terça-feira, 25 de maio de 2010

ONDE VIVEM OS SONHOS?

São apenas sonhos e a muito poucos intrigam os seus mistérios. Porém, embora poucos acreditem nisso, um sonho é mais do que um sonho.
Na minha opinião, um sonho é aquilo que descreve as nossas ideias, fantasias, desejos, os nossos mistérios mais íntimos, o nosso lado mais escuro e o mais bondoso. Os sonhos são a mistura dos nossos sentimentos e do nosso dia-a-dia, que se expressam num conjunto de imagens desfocadas.
Há também quem acredite que todos os sonhos têm um significado e que são um conjunto de sinais que nos revelam o futuro.
Eu não sei, mas para mim um sonho é simplesmente a forma mais fácil de desabafar e tentar esquecer os meus problemas: não há ninguém melhor do que a consciência para desabafar pois, mesmo que queira, nunca vai poder revelar os nossos segredos.
Em relação à pergunta: “Onde vivem os sonhos?”, não vos posso responder, pois eles vivem nos nossos sentimentos e na nossa maneira de viver o dia-a-dia e, assim, apenas uma pessoa pode dizer onde os teus sonhos vivem: tu próprio!

António Santos, 9ºC

segunda-feira, 24 de maio de 2010

O Sr. Bispo de Aveiro visitou a EB2,3 de Anadia

No dia 19 de Maio, a Escola Básica nº2 (EB2,3 de Anadia) recebeu a visita do Sr. Bispo de Aveiro, D. António Francisco. Esta visita, programada no âmbito da Visita Pastoral feita ao Arciprestado de Anadia, realizou-se no intervalo da manhã. O Sr. Bispo foi recebido com música tocada em flauta de Bisel por alunos de várias turmas, sob a orientação do professor de Educação Musical, José Dinis. O Sr. Director do Agrupamento, Elói Gomes, deu as boas vindas ao visitante e, referindo o carácter laico da escola, a pluralidade de credos professados pelos alunos e suas famílias e a disponibilidade para receber de igual modo os seus dirigentes religiosos, salientou o privilégio de ter conhecido pessoalmente o visitante, elogiando a sua afabilidade e simplicidade. Depois de agradecer o modo como foi recebido, o Sr. Bispo dirigiu-se aos estudantes a quem, recordando os seus tempos de escola, deu alguns conselhos, incentivando-os ao estudo e, salientando a importância da escola na construção de um país melhor, pediu-lhes que levassem essa mensagem aos pais. Dirigiu-se igualmente aos professores e aos funcionários agradecendo-lhes a dedicação e empenho na formação dos jovens.
No final, uma aluna entregou-lhe, em nome dos alunos da disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica e da sua professora, Helena Cravo Santos, uma planta acompanhada de uma mensagem assinada por todos que ele leu e agradeceu, prometendo lembrar a comunidade escolar nas suas orações.
Visitou, de seguida, alguns espaços da escola, nomeadamente a sala do 1º CEF, onde incentivou os alunos da turma a continuarem a sua formação pessoal e profissional.

Miquelina Melo, O Ciclista

domingo, 23 de maio de 2010

Anos 1989 e 1994 - memórias

Imagens de actividades realizadas na nossa Escola: Ceia de Natal (1989), S. Martinho, Feira da Ladra e Convívio do Final do Ano (1994)Fotos antigas 1989-1994
View more presentations from O Ciclista.

sábado, 22 de maio de 2010

NOITE


Noite misteriosa, o que escondes ao certo?
Lanterna que brilhas no céu distante,
Sensação de liberdade constante.

No escuro, vejo a imagem do desconhecido
Movendo-se de forma irreverente,
Ser misterioso que desperta uma sensação diferente.
Noite, manta de escuridão, com um só foco de luz
Amante dos apaixonados,
Com a tua beleza seduz
O meu coração apaixonado
Os teus olhos na escuridão
Fazem tremer o meu coração.
O meu coração apaixonado
Que tem medo de ser abandonado.

Teresa Rocha, 8ºC

sexta-feira, 21 de maio de 2010

POBREZA

Ser pobre não é vergonha
Mas parece uma humilhação.
E quando digo que sou pobre,
Ninguém me quer dar a mão.

Como consegues, pobreza?!
Aquela criança nos teus braços nasceu
E nas tuas mãos horríveis,
Aquela criança sofreu.

Todos merecem amor
E também muita paixão.
Mas muitas pessoas se esquecem
Que as crianças pobres também têm coração.

Diana Urbano, 8ºC

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Poupe energia com Personagens Disney

Voltamos aos conselhos da Ana do 8ºB que, no âmbito da disciplina de Física, elaborou cartazes com as personagens das histórias de Disney, com o objectivo de motivar os colegas (e não só) para a poupança de energia:

Olá! Nós somos o Huguinho, o Zezinho e o Luizinho. Somos os sobrinhos do Donald e queremos dar-te umas dicas para poupares energia: os frigoríficos e arcas congeladoras devem estar longe das janelas, portas e do fogão para os não obrigar a trabalhar (e a gastar) mais. Não coloques alimentos quentes no frigorífico e mantém o seu termóstato entre os 3ºC e os 5ºC – é a temperatura ideal para conservar alimentos: abaixo dos 3ºC obriga a consumos de electricidade desnecessários. Atenção à porta do frigorífico! Junta todos os alimentos para guardar antes de abrires a porta e tenta retirar tudo o que precisas do frigorífico de uma só vez.

Olá, eu sou o Tio Patinhas e sou um pato dado às poupanças. Bem, em minha casa tenho de poupar. Faço coisas simples, como comprar electrodomésticos de classe A pois, em termos de poupança de energia, são muito eficientes. Por norma, são mais caros do que os outros modelos, mas vai obter o retorno desse investimento na factura de electricidade e em pouco tempo! Baixo a temperatura da água quente (se o seu esquentador for eléctrico, basta reduzir alguns graus da temperatura da água). Em alternativa, compram-se painéis solares, vale bem a pena comprá-los. Para além disso, coloco as máquinas de lavar loiça e roupa a trabalhar com a carga máxima e, se possível, de noite, quando as tarifas de electricidade são mais económicas.
Ana, 8ºB

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Onde paira a infância?!

Quando as luzes se apagam
Tudo fica muito escuro,
Mas quando se iluminam
O meu coração fica confuso.

Mas porque é que eu sofro tanto?
Eu não aguento mais!
Até a esperança eu já espanto
Por não conseguir ser feliz.

Tu tens visto onde paira a minha infância?
Estou à procura de um sinal no mundo de onde venho
No “achados e perdidos”do meu coração
Já que dela não tenho quaisquer recordações…

As pessoas dizem que eu não estou bem
Por eu amar coisas tão fundamentais.
Tem sido o meu destino tentar compensar
A infância que eu nunca conheci.

Alguns estremecem quando o vento sopra,
Alguns sentem a falta de um amigo,
Alguns precisam de um herói,
E eles não têm ideia de quão grande é a minha dor.

Historias sepultadas e não contadas,
Tristezas e lágrimas sem fim,
Mistério e enigmas,
Quando é que isto chega ao fim?
Não vale a pena chorar.
Não vale a pena gritar.
Isto não me traz nada
Que Deus já não me tenha levado.

É como se eu não pudesse descrever o que está a acontecer.
Neste momento, eu apenas sinto que não estou viva
E com tudo isto que me acontece
Nem sequer quero existir…

Daniela Almeida, 8ºC

terça-feira, 18 de maio de 2010

Visita de Estudo à Sociedade Central de Cervejas e Bebidas

No dia 26 de Março de 2010 o 1ºCEF fez uma visita de estudo à Central de Cervejas e Bebidas, situada em Vialonga-Lisboa.
Esta empresa foi fundada em 1934, por quatro das mais antigas e prestigiadas cervejeiras portuguesas, tendo a marca de cerveja Sagres nascido em 1940, como cerveja de prestígio, criada por ocasião da exposição do Mundo Português em Maio de 1940.
Durante a visita tivemos oportunidade de conhecer o processo de fabrico da cerveja. Para além de cerveja, também se produz águas com sabores e sumos.
A nossa guia foi a Doutora Paula Portugal, de quem gostámos muito, pois foi muito simpática e explicou-nos todo o processo de produção de cerveja.
No final da visita, tivemos oportunidade de fazer provas de algumas bebidas aqui produzidas e sugeriram-nos que escrevêssemos no livro de Honra da empresa, no qual, como representante da turma, escrevi:
“O 1ºCEF da Escola EB 2,3 de Anadia agradece desde já a vossa disponibilidade em nos receber.
A visita guiada pela Senhora Paula Portugal foi óptima.
E também por arranjar no final um miminho.
Todos os alunos gostaram muito e ficaram muito admirados.
Agradecemos muito pela visita!!!”


Toda a turma de CEF agradece muito a todos os professores da Turma que têm sido muito compreensivos, sempre prontos a ajudar e também às Auxiliares da Educação Educativa, à Direcção da Escola, à Secretaria, ao Jornal da Escola que nos tem ajudado a divulgar os nossos trabalhos e a toda a Comunidade Escolar!
Muito obrigado a todos!!!


Mauro Oliveira, Delegado de Turma

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Concurso da TV "Fala, escreve, acerta e ganha"

NOTA: Segundo as últimas informações, a transmissão do programa em que participou a nossa escola foi adiada para hoje, dia 17 de Maio.

Visita de Estudo ao Porto

Olá a todos os ciclistas!

Gostaríamos de partilhar convosco a nossa visita de estudo.
No dia 12 de Maio de 2010, realizou-se uma visita de estudo do 6ºano ao Porto.
As turmas 6ºB, 6ºC, 6ºD, 6ºE e 6ºF reuniram-se às 8:00 na escola e, pouco depois, partimos. Para comermos qualquer coisa parámos na estação de serviço de Ovar.
Seguimos viagem até ao Campo Alegre, onde fomos ver o teatro “As aventuras de Ulysses”, adaptação do clássico “Odisseia”, de Homero. Começaram por nos apresentar as personagens da peça, ou seja, apareciam num ecrã as imagens delas e, ao lado, a caracterização de cada uma. Depois da apresentação das personagens vimos a peça, que junta o teatro às novas tecnologias e à interactividade
O teatro foi muito bonito e divertido. Todos nós (estavam lá muitos alunos de outras escolas) aplaudimos bastante.
Quanto terminou o teatro, fomos almoçar ao parque do Palácio de Cristal. No parque há uma zona de diversões com baloiços, escorrega, … Enquanto estávamos à espera que acabassem de almoçar, fomos brincar um bocadinho para lá.
Quando já tínhamos todos almoçado, fomos até ao Museu Soares dos Reis, a pé.
À entrada do Museu, deram-nos um folheto com perguntas acerca da exposição que íamos ver.
Fomos divididos em três grupos, um por exposição, e cada um foi para a sua: “Pintura”, “Esculturas” e “Porcelana”.
A guia ia-nos dando explicações sobre a exposição e nós respondíamos às perguntas pedidas, que estavam no folheto. Assim que respondíamos às questões, a senhora dizia as respostas em voz alta.
Para terminarmos a ida ao Museu, fomos à parte de ourivesaria, onde podíamos comprar o que lá estava exposto.
No final, lanchámos no Palácio de Cristal e seguimos para a escola.
Foi muito divertido!
Adriana Matos e Sofia Pedrosa, O Ciclista

sexta-feira, 14 de maio de 2010

9 de Maio - Dia da Europa

No dia 10 de Maio comemorou-se o Dia da Europa na EB2,3 de Anadia. A actividade foi planificada pelos docentes do Departamento de Línguas e da disciplina de Geografia. No Polivalente foram montadas quatro barraquinhas – uma para cada língua – e um espaço dedicado aos países da União Europeia. Os espaços foram decorados com materiais alusivos a cada país (bandeiras, fotografias, cartazes, etc.). Na parede de maior dimensão foi colocado um mural com pequenos cartazes informativos sobre cada um dos países europeus e vários ecrãs permitiam ver informação sobre os países na própria língua.
No intervalo da manhã os elementos da comunidade educativa foram surpreendidos com a possibilidade de provarem petiscos próprios de cada país das línguas estudadas na escola.
Na barraca de Portugal havia, entre outras delícias, pataniscas e bolos de bacalhau, broa, chouriço assado, bola de carne, azeitonas, tremoços, arroz doce e “tinto” (isto é, groselha) nas canecas de barro vermelho. Na de França, puderam provar croissants, crepes, quiche … Na de Espanha havia tapas variadas e, na do Reino Unido, chá e scones com doce de morango e doce de pêssego.
Os alunos do 1º CEF colaboraram activamente, não só confeccionando alguns dos petiscos (as tapas “espanholas”, o chouriço assado, os sumos…), mas também ajudando no atendimento. E fizeram um óptimo trabalho, como já é habitual.
Miquelina Melo

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Dia da Ascensão

Hoje é Dia da Ascensão. Era, tradicionalmente, um dos mais respeitados Dias Santos para os católicos, que não realizavam qualquer trabalho nesse dia. Em muitos lares nem sequer cozinhavam as refeições. Esse respeito e religiosidade estão bem patentes no seguinte dito antigo:


Se o passarinho soubesse

quando é Dia da Ascensão

não punha o biquinho no ninho

nem o pezinho no chão!




Um bom feriado (municipal) para todos!

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Concurso da TV "Fala, escreve, acerta e ganha"















Olá a todos os "Ciclistas"!
Numa reportagem anterior contámos que três alunas da nossa escola participaram no programa "Fala, escreve, acerta e ganha".
Este programa foi gravado no dia 27 de Janeiro, uma quarta-feira.
Pois é!
É já no próximo dia 14 de Maio, 6ª feira, que podemos vê-lo na RTP2, às 16:50 ou às 19:50 (repetição).
Vamos todos assistir!


Adriana Matos e Sofia Pedrosa, O Ciclista

terça-feira, 11 de maio de 2010

Matemática: problema do mês de Maio

A Maria ficou confusa com um problema que lhe sugeriram. Nessa tarde, encontrou o Manuel e disse-lhe:
Maria: Como é que eu posso ordenar as cartas de maneira que cada linha horizontal, vertical e diagonal de três cartas some quinze?

Manuel: O problema não parece difícil! Só é preciso pensar um pouco.

Ajuda-o!

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Actividades no dia 5 de Maio

No dia 5 de Maio realizou-se a prova de aferição de Língua Portuguesa. Por esse motivo, os alunos dos 5º, 7º e 8º anos não puderam permanecer na escola e tiveram de caminhar até ao centro desportivo, acompanhados por professores e funcionários, onde ocuparam a manhã em jogos de rugby, orientados pelos professores de Educação Física.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Uma criança

Era apenas uma pequena e indefesa criança, que nada sabia do mundo em que vivia… apesar disso, era feliz… quem sabe até se não era mais feliz assim, a viver na ignorância do que se passava à sua volta!
Com aquela inocência que só uma criança tem, um dia perguntei:
— Mãe, os meus amigos têm um pai e uma mãe e eu só te tenho a ti…foi porque me portei mal e não posso ter pai também? Onde é que está o meu pai?
Ao ouvir isto, a mãe ficou um pouco espantada, pois não estava à espera que eu lhe fizesse esta pergunta, pelo menos não desta forma. Depois de muitas explicações e rodeios, a minha mãe explicou-me tudo o que se passava, mas eu não entendi muito bem… ou não quis entender …
Este foi só um pequeno exemplo da inocência deste ser tão pequeno e frágil que é uma criança. Mas isso foi há muitos anos.
A criança é o ser mais perfeito e verdadeiro que há no mundo. Tudo o que acha, o que pensa ou o que sabe ela diz, independentemente de magoar alguém ou não… é o espelho mais sincero que uma pessoa pode ter!
E tudo isto sempre com um sorriso nos lábios e a boa disposição que só as crianças têm… quando tudo à sua volta é negro e frio, elas vêm dar alegria a todos, sem pedir nada em troca; apenas um mimo de vez em quando e um pouco de atenção, mas a maior parte das vezes estamos tão ocupados a olhar para o nosso umbigo que nem isso lhes damos.


Ana Carvalho, 9ºB

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Aula prática de restauração da turma do 1º CEF

No dia 20 de Abril de 2010, os alunos da turma do 1º CEF tiveram uma aula prática de cozinha e serviço de uma refeição completa. Para isso, convidaram os professores a participar como comensais e eles aderiram na medida certa.

Segue a ementa e o registo fotográfico do acontecimento.
Ementa
“O Jogo vai começar!”
“Exercícios de Aquecimento…”
Aperitivos
Canapés
Entradas
Camarões gratinados com maionese e salsa
O Árbitro apita para a 1º Parte, e dá-se o pontapé de saída…”
Almoço
Espetadas de Porco ou Peru
Guarnição (Batata em pé com rolinhos de Alface)
Sumo Natural
&
Espumante
“Golooooooooooooooooooooooo!
Inicio da Vitória…”
Pêra com caramelo
“Intervalo, os jogadores recuperam forças…”
Crepes com Morangos
“Com os jogadores em campo, inicia-se a 2º Parte do jogo…”
Digestivos
Café

“Fim do Jogo. Obrigado pela vossa presença!”

Servidos pelo o 1ºCEF (Curso de Educação e Formação de Jovens)

terça-feira, 4 de maio de 2010

Actividade do Dia do Livro

No dia 22 de Abril os alunos do 7ºB, com a colaboração e organização da professora de Língua Portuguesa, deslocaram-se a todas as salas de aula de todas as turmas do 3ºciclo, a fim de marcarem o Dia Mundial do Livro.
Foram formados 4 grupos de alunos, a saber: grupo I - Beatriz Loureiro, Salomé, Inês e Andreia; Grupo II - Ana Sofia Rute, Ana Catarina e Beatriz Morgado; Grupo III - Patrícia, Márcia, Mariana e Sofia; Grupo IV - Joana Rangel, Joana Veiga, Madalena e Daniela. Estes grupos participaram de uma forma dinâmica e responsável na actividade, pois tinham de se dirigir às salas previamente seleccionadas, uma aluna tinha de ler um texto de apelo à leitura e, finalmente, tinham de distribuir um marcador a cada aluno e professor.
O texto lido foi o seguinte:

Amanhã, dia 23 de Abril é o dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor!

Vamos todos ganhar asas e voar até ao infinito.
Vamos cuidadosamente abrir um livro e nadar nas suas palavras.
Vamos chorar, rir ou gritar, lendo os sentimentos de outra pessoa.
Vamos recordar a nossa infância, quando nos enroscávamos nos lençóis, enquanto nos contavam as mais belas histórias de encantar.
Vamos ler… porque quando lemos, também a nossa vida se transforma num conto de fadas, onde existe sempre um príncipe encantado e uma princesa que precisa de auxílio. Onde se aguarda sempre um final feliz e nada necessita de ser possível.
Vamos à Terra do Nunca, onde só a imaginação conta.
Vamos fazer parte de uma história de amor que parece ser impossível, mas que no fim acaba com um lindo e perfeito casamento, com um vestido deslumbrante e pombas brancas que dançam no ar.
Vamos deslizar nas mais belas palavras de amor, vamos ler outra e outra vez.
(Este texto foi redigido por Beatriz Loureiro, aluna do 7ºB.)

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Provas de Aferição

As provas de aferição e Língua Portuguesa e de Matemática dos 1.º e 2.º Ciclos do Ensino Básico, segundo o GAVE, Gabinete de Avaliação Educacional, “visam avaliar o modo como os objectivos e as competências essenciais de cada ciclo estão a ser alcançados pelo sistema de ensino. A informação que os resultados destas provas fornecem mostra-se relevante para todos os intervenientes no sistema educativo, alunos, pais, encarregados de educação, professores, administração e para os cidadãos em geral. Estes resultados permitem uma monitorização da eficácia do sistema de ensino, devendo ser objecto de uma reflexão ao nível de escola que contribua para alterar práticas em sala de aula, que assim podem e devem ser ajustadas de modo sustentado”.
Nos próximos dias 5 e 7 de Maio realizam-se, respectivamente, as Provas de Aferição de Língua Portuguesa e de Matemática dos 4º e 6º anos.
Nesses dois dias, os alunos que frequentam estes dois anos não se podem esquecer de ir munidos com algum material:

Escolas de realização das provas para os alunos do 4º ano: Salas de realização das provas para os alunos do 6º ano: Todos os alunos têm de estar junto da sala às 9 horas e 30 minutos.
Agora só nos resta desejar:
Bom trabalho!

O Secretariado de exames.

domingo, 2 de maio de 2010

Anos 90 - memórias

Registo de actividades realizadas na Escola Preparatória de Anadia nos anos 1991, 92, 93: na sala de aula, festa de Natal, preparação das comemorações dos 25 anos da Escola, convívio de Natal de professores e funcionários...

sábado, 1 de maio de 2010

ABECEDÁRIO SEM JUÍZO

A é a Andreia a cavalo numa Sereia,
B é o Brian que dorme toda a manhã,
C é a Carlota que vai de mota,
D é o Daniel que lambe o pastel,
E é o Emanuel a fugir no carrossel,
F é o Filipe que quer que lhe chamem Lipe
G é o Gonçalo que tem um rabo-de-cavalo,
H é o Hugo que é muito peludo,
I é a Isabel que é doce como o mel,
J é o João que é um grande lambão,
L é a Luísa que tramou a juíza,
M é o Márcio que é um grande pascácio,
N é o Nuno que ganhou no Uno,
O é o Olavo que entra mudo e sai calado,
P é o Pedro Penedo que não nos mete medo,
Q é o Quim que fugiu com o pudim,
R é o Ricardo que se picou no cardo,
S é a Sara que tem uma grande “tara”,
T é o Tiago que caiu no lago,
U é o Ulisses que faz muitas tolices,
V é a Vanessa que entra de burro na peça,
X é o Xavier, aquele que ataca a mulher,
Z é a Zélia que tira o leite à Cornélia.

Criado pelos alunos de Currículos Específico Individual: Márcio Neves, Gonçalo Ribeiro, Micael Cerveira, Brian e Filipe Louro, sob orientação da Professora de Educação Especial, Paula Gonçalves de Almeida.