Equipa d´O Ciclista

Clube de Jornalismo O Ciclista:

Coordenação: Dra. Graça Matos e Dra. Sara Castela

Alunas: Adriana Matos, Ana Neta, Beatriz Agante e Matilde Santos

Alunos: André Castro, Henrique Ferreira

Dra. Miquelina Melo – Membro Honorário

Endereço de correio eletrónico - cj.eb23anadia@gmail.com

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

A propósito do Dia Mundial da Filosofia



 A palavra Filosofia significa “amor à sabedoria”, que consiste no estudo de problemas fundamentais relacionados com a existência, o conhecimento, a mente e a linguagem. Foca-se em questões da existência humana, mas não na religião, não se baseia na revelação divina ou na fé, mas sim na razão.
O Filósofo é aquele que procura conhecimento por si mesmo, sem uma visão pragmática, sobre os fundamentos da realidade.
A filosofia do conhecimento inclui a lógica, enquanto a filosofia do trabalho se relaciona com questões da ética. E por falar em questões de ética, vejamos então a importância da filosofia para os jovens.
O problema atual dos jovens está ligado aos fatores que fazem parte da sua formação pessoal. Não se trata de um erro da educação dada pelos pais, mas sim pela “educação da rua”, aquela que é dada pelo meio em que vivemos. A expressão, “o homem é fruto do meio em que vive”, faz-se soar mais que nunca na sociedade actual. Cada vez mais temos crianças e adolescentes ligados a drogas, independentemente da sua classe social. O que está a acontecer é que a nossa sociedade que “devora mentes”, que transmite um conceito falso de felicidade e vende mentiras, é a base da educação. Em vez de oferecerem respeito, amor, honestidade e humanidade aos jovens, oferecem consumo. Confundem valores morais com valores pecuniários, com cartão de crédito. Ao invés de oferecerem carinho e atenção, oferecem coisas, preocupam-se mais com o ter do que com o ser.
As famílias estão mais afastadas, conversam menos, convivem menos e são menos tolerantes. Dentro desta sociedade alucinada estabeleceu-se uma “comparação” a tudo. As pessoas não têm gostos próprios e seguem padrões ditados por outros. Com isto, só tenho a dizer que nós jovens somos autênticas marionetes que servem o interesse vigente.
Haverá sempre alguma maneira de sermos conquistados a ingerir os valores impostos pela nossa sociedade. O que nos falta a nós, enquanto sociedade, são valores morais, amor, educação e oportunidade.


Escola Básica e Secundária de Anadia, Matilde Vinagre, n.º 7, 11.º C

Nota:
Imagem recolhida da Internet.
 

Sem comentários:

Enviar um comentário