Equipa d´O Ciclista

Clube de Jornalismo O Ciclista:

Coordenação: Dra. Graça Matos e Dra. Sara Castela

Alunas: Adriana Matos, Ana Neta, Beatriz Agante e Matilde Santos

Alunos: André Castro, Henrique Ferreira

Dra. Miquelina Melo – Membro Honorário

Endereço de correio eletrónico - cj.eb23anadia@gmail.com

terça-feira, 26 de maio de 2015

O abandono de animais



O abandono de animais mata todos os anos milhares de animais, muitos deles inocentes, sem merecerem como seu destino o abandono.
Na verdade, as pessoas, antes de adotarem um animal, têm de ter consciência que esse ato pode ficar muito dispendioso, têm de ter condições para o ter e ter noção que um animal não necessita apenas de água e comida, necessita também de amor, carinho, atenção e, claro, necessita também que o levem ao veterinário.
Muitas pessoas gostam de adotar animais, quando estes ainda são pequenos, pois acham-nos fofos, giros, mas, quando crescem e começam a dar mais trabalho, sem qualquer escrúpulo, abandonam-nos.
Na realidade, os animais têm o direito de serem respeitados, amados e protegidos. De facto, quando se abandona um animal, devia-se ter consciência do que se está a fazer, lembrando, por exemplo, o frio e a fome que o animal vai passar. Sendo assim, qualquer ser humano, antes de abandonar o seu animal de estimação, terá então que se colocar na pele dele.
Felizmente, muitos dos animais abandonados são muitas vezes ajudados por instituições e por pessoas que, com pena, os levam para casa e lhes dão o amor e carinho de que estavam realmente a precisar.
Em suma, quando se adota um animal, deve-se ter em conta de que este tem de ser respeitado. Na verdade, o número de animais abandonados é cada vez maior e, se todos contribuirmos, se todos ajudarmos, conseguiremos mudar o destino destes animais e dar-lhes o que eles tanto necessitam.
                                                                           Carlota Oliveira, nº 5, 9º A – Vilarinho
Nota:
Imagem retirada da Internet.

Sem comentários:

Enviar um comentário