Equipa d´O Ciclista

Clube de Jornalismo O Ciclista:

Coordenação: Dra. Graça Matos e Dra. Sara Castela

Alunas: Adriana Matos, Ana Neta, Beatriz Agante e Matilde Santos

Alunos: André Castro, Henrique Ferreira

Dra. Miquelina Melo – Membro Honorário

Endereço de correio eletrónico - cj.eb23anadia@gmail.com

sábado, 27 de setembro de 2014

Sofrer e fazer sofrer parece ser o lema do Homem

Nos dias de hoje, infelizmente, deparamo-nos com vários problemas sociais, tais como a corrupção; o desemprego; o abandono de idosos; a solidão; a desumanidade, entre outros.
Foi, então, solicitado aos alunos do 9º A e 9º C que, com esta afirmação em mente, construíssem um texto de opinião em que dessem a conhecer a sua visão em relação à sociedade em que vives.
Vejamos, o texto que a seguir vos é apresentado.
Sara Castela, O Ciclista

Sofrer e fazer sofrer parece ser o lema do Homem
A desumanidade, a solidão, a corrupção, o desemprego e o abandono de idosos são temas imortais, que acompanham o Homem ao longo da sua existência. De facto, somos seres capazes das atitudes mais desumanas, egoístas e, por vezes, não olhamos a meios para atingir os fins. Até que nos abram os olhos ou se passe algo no nosso seio familiar somos, na maior parte das vezes, seres incapazes de compreender a vida difícil dos outros, mas como em tudo na vida há sempre exceções que confirmam a regra.
Por exemplo, o isolamento e o desemprego são duas realidades cada vez mais atuais. Na verdade, há cada vez mais pessoas profissionalmente inativas e a sofrerem de solidão e consequentemente cada vez menos gente capaz de ajudar.
Por outro lado, com o decrescente poder de compra e impossibilidade de poupança, há cada vez mais corrupção e idosos a serem abandonados.
Pergunto-me se poderá chamar-se ao Homem um ser racional, quando este afinal é capaz de abandonar idosos, maltratar outras pessoas ou até mesmo praticar a corrupção.
Todos nós desejamos certamente que a maioria das pessoas seja capaz de mudar mentalidades e acabar com a desumanidade, mas isso talvez seja impossível, uma vez que haverá sempre no mundo gente maldosa e indiferente.
Temos então de lutar pela mudança, tornarmo-nos seres racionais e ajudar, porque amanhã podemos ser nós a precisar dessa ajuda. 

Artur, 9º C (2013/2014)

Sem comentários:

Enviar um comentário