Equipa d´O Ciclista

Clube de Jornalismo O Ciclista:

Coordenação: Dra. Graça Matos e Dra. Sara Castela

Alunas: Adriana Matos, Ana Neta, Beatriz Agante e Matilde Santos

Alunos: André Castro, Henrique Ferreira

Dra. Miquelina Melo – Membro Honorário

Endereço de correio eletrónico - cj.eb23anadia@gmail.com

quarta-feira, 7 de março de 2018

Telemóveis - serão eles essenciais?



Hoje em dia, os jovens e até os adultos não vivem sem o telemóvel. Esta é uma verdade que está mais do que evidente aos olhos de quem quiser ver. Será, assim, a sua utilização tão vantajosa ou haverá também desvantagens?
Do nosso ponto de vista, o telemóvel é essencial no nosso dia a dia, permitindo-nos pôr em prática várias ações, como por exemplo, para fazer pesquisas. O telemóvel também é necessário para nos mantermos contactáveis em qualquer momento. Vejamos, se estivermos em casa sozinhos ou até na rua, se nos sentirmos mal, podemos contactar, de forma imediata, com os nossos pais ou amigos para que nos possam vir socorrer.
No entanto, várias pessoas excedem-se no seu uso. Lembremos, por exemplo, uma situação que ocorre habitualmente nas nossas escolas, o facto de os alunos começarem a utilizar os telemóveis durante as aulas, o que é inaceitável! Efetivamente, este comportamento leva a que os discentes estejam completamente alheios à explicação dos conteúdos por parte dos professores e, consequentemente, acabarão por obter maus resultados escolares. Por outro lado, o uso impróprio do telemóvel também se nota em muitos dos adultos, que hoje em dia prestam mais atenção ao telemóvel do que aos próprios filhos. Sim, já assistimos várias vezes, em passeios de rua, a situações em que as crianças acabam por chamar à atenção dos seus pais por estarem ao telemóvel em vez de falarem com elas ou até verem as suas habilidades em determinadas brincadeiras.
Em suma, embora o telemóvel seja um objeto essencial, como acabámos de constatar, não devemos de maneira nenhuma abusar do seu uso.
Margarida Moura, n.º 9; Maria Dias, n.º 10 e Mariana Silva, n.º 13- 8.º E

Sem comentários:

Enviar um comentário