Equipa d´O Ciclista

Clube de Jornalismo O Ciclista:

Professoras: Dra. Graça Matos e Dra. Sara Castela

Alunas: Adriana Matos, Ana Neta, Beatriz Agante, Matilde Santos e Sofia Pedrosa

Alunos: Daniel Almeida, Henrique Ferreira, João Rocha e Tomás Antunes

Dra. Miquelina Melo – Membro Honorário

terça-feira, 2 de maio de 2017

Tatuagens e piercings




No âmbito da comemoração do Dia Mundial da Saúde – 7 de abril, o Grupo responsável pelo PES (Projeto de Educação para a Saúde) promoveu a palestra intitulada “TATUAGENS E PIERCINGS”, dirigida aos estudantes do 9.º ano, das Escola Básica de Vilarinho do Bairro e Escola Básica e Secundária de Anadia.
Consideradas as “feridas do século XXI” as tatuagens e piercings são uma prática milenar, ligada a costumes de muitas civilizações antigas, com diferentes significados de acordo com época e cultura.
O termo “tatuagem” deriva da palavra Tatu” que significa “desenho no corpo”, produzido pela introdução de pigmentos na derme, utilizando uma agulha.
A expressão piercing tem sido usada para designar um tipo de adorno (body piercing), joia ou peça decorativa, inserida por perfuração, em certas partes do corpo como, por exemplo, orelha, região superciliar, nariz, umbigo, boca (lábio, bochecha e língua), mamilo e região genital.
Por motivos estéticos ou pessoais, esta arte de modificar o corpo, sem condições de máxima assepsia, constitui um dos principais riscos para contrair infeções (hepatite B, hepatite C ou HIV); alergias (pigmento e metal); tumores (produtos químicos cancerígenos encontrados em tintas usadas comumente na Europa).
Recomenda-se estabelecimentos certificados, dividido por diferentes zonas: receção, esterilização dos materiais e zonas de trabalho. Os materiais devem ser esterilizados e descartáveis. O profissional deve usar bata branca, máscara, luvas e calçado específico. Quanto ao momento ideal, a época mais perigosa para realizar piercings e tatuagens é, sem dúvida, o verão pois uma das recomendações é evitar exposição solar e evite ir à praia ou piscinas.
Muitos jovens resolvem fazer tatuagem e/ou piercings pressionados pelos amigos ou pelo facto de ser moda, mas “as tatuagens e os piercings não são comparáveis a uma peça de vestuário que se põe de lado quando se deixa de gostar dela ou ficou desatualizada”!
Lígia Antunes – Hospital de Anadia


Sem comentários:

Enviar um comentário