Equipa d´O Ciclista

Clube de Jornalismo O Ciclista:

Coordenação: Dra. Graça Matos e Dra. Sara Castela

Alunas: Adriana Matos, Ana Neta, Beatriz Agante e Matilde Santos

Alunos: André Castro, Henrique Ferreira

Dra. Miquelina Melo – Membro Honorário

Endereço de correio eletrónico - cj.eb23anadia@gmail.com

terça-feira, 31 de março de 2015

Viver no campo ou na cidade?




Bem! Viver no campo ou na cidade? Eis a questão!
Muitos são aqueles que desejam viver na cidade principalmente os jovens, pois têm acesso a muito mais ofertas do que no campo. E muitos dos que vivem na cidade gostariam de viver no campo talvez por ser um ambiente mais tranquilo.
Mas porquê? Se analisarmos bem a questão, viver na cidade tem mais desvantagens e consequências do que vantagens!
Na minha opinião, viver na cidade pode ser uma possibilidade bastante positiva como também negativa, isto depende do ponto de vista de cada pessoa. Se pensarmos na fase da adolescência, os jovens gostam e necessitam de conhecer pessoas novas, de terem muitos amigos, mas claro que nem todos pensam assim. Contudo, para estes o melhor será viver na cidade, sem dúvida! Se pensarmos nas pessoas que vivem no campo, em contrapartida, estas não têm tanto acesso a determinadas condições, chegando assim a preferir viver na cidade. Mas e as desvantagens e consequências? Estas são várias entre as quais a poluição, o facto de quando estamos na rua, ao virar a esquina, vermos sempre ou quase sempre pessoas que não conhecemos que para nós são estranhos, para além dos alcoólicos, drogados e os sem-abrigo. Isto é bom? Claro que não! Até porque na cidade as pessoas têm maior acesso a drogas, ao álcool, ao tabaco. Claro que quem vive no campo tem um menor acesso a tudo isto, tendo assim uma vida mais saudável!
Porém, quem vive no campo, lá no fundo sabe que é um pouco aborrecido, pois não há tanto para fazer, mas as pessoas conhecem-se muito mais e melhor, pois existe muito menos gente do que na cidade. Por outro lado, quando estamos a passear, encontramos sempre alguém conhecido que nos vai perguntando como anda a vida e como vão os “namoricos” e nós respondemos com simpatia. É um ambiente de facto familiar, somos até uma espécie de família e os amigos também são sempre os mesmos até termos de mudar de escola e cada um seguir o seu caminho.
Em suma, para mim viver no campo, não seria bom o suficiente, mas viver na cidade também não. Se existisse um meio-termo! Isso sim, era o ideal, pois o campo tem oportunidades e pessoas a menos enquanto a cidade tem oportunidades a mais!
Carlota Oliveira, nº 5, 9º A – Vilarinho

Sem comentários:

Enviar um comentário